Doutor Finanças lança jogo de tabuleiro para toda a família “Doutor Finanças e a Bata Mágica”


31 Oct
  • Inspirado no livro infantil com o mesmo nome, a empresa apresenta agora um jogo didático que pretende reunir toda a família
  • No mesmo dia em que completa o seu 6.º Aniversário, o Doutor Finanças apresenta ainda 7 dicas para conseguir um nível de poupança confortável
  • Com o intuito de ajudar mais pessoas, a empresa lançou ainda uma área no site dedicada à Poupança, com informação revelante para uma vida financeira saudável.

No âmbito do Dia Mundial da Poupança, celebrado a nível global a 31 de outubro, o Doutor Finanças, empresa especializada em finanças pessoais e familiares, acaba de lançar o jogo de tabuleiro “Doutor Finanças e a Bata Mágica”.

Inspirado no livro Infantil com o mesmo nome, publicado pela empresa há cerca de um ano, este é um jogo de tabuleiro em versão digital sobre literacia financeira que está disponível para download gratuito e que tem como objetivo animar pequenos e graúdos lá em casa.

“O lançamento deste jogo marca também o 6.º aniversário do Doutor Finanças, uma vez que a nossa empresa teve início exatamente no Dia Mundial da Poupança. Este dia é repleto de muito simbolismo para a empresa e acabamos sempre por destacá-lo. O ano passado lançámos o livro Doutor Finanças e a Bata Mágica, que foi um sucesso. Este ano lançamos esta ideia para um jogo de tabuleiro para montar em casa, uma forma didática, divertida e familiar de envolver todos em torno da literacia financeira. É importante que as crianças, desde cedo, comecem a ter noção do que é o dinheiro, de que ele não nasce nas árvores e chamá-las à responsabilidade de fazer a gestão do seu próprio dinheiro. Nada mais simples do que explicá-lo através de um jogo simples e divertido”, comenta Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças.

O jogo pretende assim levar às crianças os conceitos básicos da literacia financeira, sendo muito fácil de explicar e entender.  O facto de ser um jogo, faz com que a criança esteja constantemente a relembrar-se dos princípios básicos, através de uma autêntica viagem pelos caminhos da poupança. Caminhos esses, que nem sempre vão ser fáceis. O jogo desafia os seus participantes a ultrapassar obstáculos e a provar que são autênticos conhecedores da importância da poupança.  “Tal como na vida, para se vencer este jogo também vai ser necessária uma pitada de sorte para escapar dos azares que possam aparecer pelo caminho”, refere ainda o responsável. 

Aprender literacia financeira com o jogo de tabuleiro “Doutor Finanças e a Bata Mágica” é simples, basta descarregar o jogo gratuitamente. Além desta iniciativa, o Doutor Finanças desenvolveu uma página Especial Poupança especificamente para assinalar esta data. Aqui é possível encontrar dicas, conselhos, ferramentas e muita informação sobre literacia financeira, de forma a funcionar como um guia estruturado e robusto pelos caminhos da poupança.

Neste contexto, o Doutor Finanças partilha ainda 7 passos para alcançar a liberdade financeira, essencial para uma vida mais tranquila e sustentável financeiramente:

1. Pague-se a si primeiro

Ao criar uma poupança automática logo no início do mês é uma garantia de que nos pagamos a nós mesmos. O ideal é estabelecer um objetivo. Partir da ideia de que devemos poupar 10% do nosso rendimento.

2. Faça o orçamento

Para ter uma noção do que pode ou não poupar, a primeira coisa a fazer é um orçamento. Quanto ganhamos e quais são as nossas despesas? Esta pergunta deve ser respondida com detalhe. 

3. Use todos os extras para aumentar poupança

A maioria das pessoas recebe subsídio de férias e subsídio de Natal. Encare-os como extras e “distribua-os”, uma parte para aquilo a que se refere o nome, mas uma boa parte para a poupança. Assim, vai engordar o porquinho mealheiro de forma mais fácil e com menos esforço. Por outro lado, e se costuma receber reembolso de IRS pense em juntá-lo à sua poupança.

4. Poupe por objetivos

Estabeleça objetivos. Para começar, crie uma poupança para fazer face a despesas de 6 meses. Ou seja, quais são os seus encargos mensais? Pois bem, multiplique por seis. Este será o valor que precisa de ter de parte para conseguir ter um pé de meia que lhe permita contornar com tranquilidade uma quebra de rendimentos.

5. Nem sempre poupar gera poupança

Por vezes poupamos em coisas que na verdade vão implicar custos maiores. Não “gastar” num seguro de saúde, por exemplo, é uma das coisas que não deve fazer se quiser poupar.

6. Ponha os seus filhos a poupar

Se tem filhos, prepare-os para a vida adulta. Poupar é algo que devemos fazer desde cedo. Se for algo a que nos habituamos desde o início, será algo que faremos naturalmente durante toda a nossa vida. Qual a idade que deve dar dinheiro ao seu filho e ensiná-lo a poupar? Pode começar a incutir conceitos desde pequenos, mas só a partir dos 6 anos, quando começam a aprender a fazer contas, é que deverá fomentar algo regular.

7. Poupança gera poupança

Quando alcançamos uma poupança confortável – que nos permita recorrer em caso de necessidade – podemos começar a diversificar a poupança e tentar fazê-la crescer. Há várias formas de o fazer: pode pagar créditos que tenha a decorrer (poupará em juros e elimina uma despesa mensal) ou pode investir.

Sobre este último cenário, deve ter atenção ao seu perfil de investidor. Nunca pense que problemas só acontecem aos outros. Antecipe os vários cenários e perceba se está confortável com eles.

Se seguirmos algumas destas dicas vamos ver que a poupança vai crescer, quase sem sentir. Por vezes temos de fazer sacrifícios, mas no final compensa, porque assim atingimos a liberdade financeira. E isto não tem preço.

Para mais informações clique aqui ou aceda a www.doutorfinancas.pt.