Aprender também pode ser divertido: iniciativa “Fast Heroes” transforma os miúdos nos super-heróis lá de casa!


01 Feb
01Feb

A campanha “Fast Heroes 112” é uma iniciativa que transforma os miúdos nos super-heróis lá de casa com o intuito de sensibilizar para a importância de uma ação rápida nos sintomas do Acidente Vascular Cerebral.

E como é que vamos fazer isso? 

A campanha “Fast Heroes 112!” conta a preciosa ajuda dos mais pequenos, com o objetivo de evitar que os doentes de AVC cheguem demasiado tarde ao hospital. O intuito é sensibilizar as crianças entre os 5 e os 9 anos face aos sintomas de AVC e à necessidade de uma ação rápida, chegando às suas famílias e escolas.  Para empoderar os mais novos, mostrando às famílias e escolas que é possível aprender mais sobre coisas sérias enquanto brincamos, a iniciativa foca-se em dois grandes objetivos:  

1.      Melhorar o reconhecimento dos sintomas mais frequentes do AVC: muitas das vezes, as pessoas não sabem os sabem identificar, acabando por ignorá-los até ser demasiado tarde; 

2.      Ensinar à população geral que o AVC é uma emergência: quando surgem os primeiros sintomas, é crucial chamar de imediato uma ambulância em vez de pedir ajuda a outras pessoas.  

Como tal, e para transformar os mais pequenos num veículo de educação para os seus familiares, a campanha foca-se em três super-heróis reformados que têm um superpoder que ajuda a recordar os sintomas mais comuns do AVC, os 3 F’s! 

Além disso, estas atividades educativas estão disponíveis na página https://pt-pt.fastheroes.com/ e são completamente gratuitas!  

Referimos ainda que a campanha “Fast Heroes 112” criou um desafio que tem como objetivo chegar ao Registo Mundial de Recordes, batendo o recorde de maior álbum de fotografias online de pessoas com máscaras de super-heróis. 

Mais informações aqui: https://recordattempt.fastheroes.com/pt/  

É importante não esquecer que: o AVC é a segunda principal causa de morte e a terceira principal causa de incapacidade no mundo, sendo que a cada 30 minutos morre ou fica incapacitado um doente, o que, muitas das vezes, significa mais uma criança que perde um dos seus avós. Mas há uma boa notícia! Estas consequências podem ser evitadas se os doentes conseguirem chegar a tempo ao hospital, recebendo o tratamento adequado.