«Quando Eu era Pequenina» Pensamentos e Emoções Sobre a Infância e a Memória


15 Nov

«Quando Eu era Pequenina» Pensamentos e Emoções Sobre a Infância e a Memória, uma encantadora viagem à Lisboa de antigamente e ao Portugal da nossa meninice, mas também um livro verdadeiro e corajoso, delicado e afetuoso.

Com este livro de memórias, Luísa Castel-Branco e a Contraponto inauguram uma trilogia de cariz íntimo e pessoal dedicada à infância e às memórias, ao amor e aos filhos, e ao envelhecimento e à morte.

Para os próximos dois anos, ficam prometidos «O Amor é uma Invenção dos Pobres – Pensamentos e Emoções Sobre o Amor e os Filhos» e «Agora Que Falta Tão Pouco – Pensamentos e Emoções sobre o Envelhecimento e a Morte»

Sobre o livro

O tempo da infância é diferente de todos os outros. É repleto de magia, de risos e lágrimas, de medos e desafios. Durante a infância, temos a certeza de que tudo vai ser possível e não sabemos que nunca mais voltaremos a sentir-nos assim. Sob a forma de emoções, e alimentando pensamentos, ficam memórias construídas com as coisas mais estranhas, como se de um edifício se tratasse ou um jardim desenhado com cuidado e desvelo.

Neste livro, o primeiro de uma trilogia dedicada à infância e às memórias, ao amor e aos filhos e ao envelhecimento e à morte, Luísa Castel-Branco leva o leitor pela mão até à ruralidade dos arredores da Lisboa dos anos 50 e 60, uma realidade povoada de grandes árvores bravias, de gado pachorrento, de personagens estranhas, de bailaricos apaixonantes ou de mistérios familiares. E à memória tanto nos vem o cheiro da terra molhada de quando íamos para a escola e o outono começava a aparecer devagarinho, como o toque daquele vestido de que tanto gostávamos e que nos fazia sentir tão crescidas. 

Verdadeiro e corajoso, delicado e afetuoso, arrancado do fundo da alma, «Quando Eu Era Pequenina», de Luísa Castel-Branco é uma obra preciosa, à qual nenhum coração sensível poderá ficar indiferente.