Dia Mundial das Massas | Portugal está no Top 20 dos maiores consumidores de massas


25 Oct

Celebrado a 25 de outubro, neste dia recordamos os benefícios desta fonte natural de energia, assim como a importância das massas alimentícias para uma dieta equilibrada e saudável.

As massas são uma fonte privilegiada de hidratos de carbono, fundamentais na nossa alimentação. Na verdade, pouco alimentos compõem uma tão vasta oferta de nutrientes como a massa que é rica em vitaminas B1, B2, B6, PP e E, ácido fólico, fosfato, cálcio, ferro, cobre, magnésio, sódio e potássio. Sendo por isso importante incluirmos o consumo de massas numa dieta equilibrada e saudável”, explica Eva Carvalho, nutricionista responsável pelo Centro de Nutrição Milaneza.

A Fundação Portuguesa de Cardiologia defende que “a facilidade de digestão e de absorção das massas é outra das inúmeras vantagens deste alimento. Esta particularidade faz com que mantenhamos os níveis sanguíneos de glicose estáveis durante mais tempo, o que assume um papel fundamental na preservação muscular e previne diversas doenças”.

Os portugueses estão no top dos 20 principais consumidores, com 6,6 kg per capita. A sua paixão pela massa é conhecida há vários séculos e sabemos que um dos seus primeiros divulgadores foi o cozinheiro da rainha D. Maria I que, em 1785, publicou um livro de cozinha onde já incluía receitas de “sopa de aletria e outras massas”.

“A massa é um dos alimentos que maior versatilidade de combinações permite: seja com legumes, carne ou peixe, é fácil integrá-la em receitas diversificadas e equilibradas. O seu delicioso sabor e a sua enorme variedade são dois fatores que tornam a massa num dos pratos mais apreciados em todo o mundo, sendo consumido desde tempos remotos. Esta versatilidade, aliada à facilidade e rapidez de confeção, fez com que, face à azáfama dos atuais estilos de vida urbanos, a massa se tornasse num bem essencial e uma solução nutritiva e muito prática”, acrescenta Eva Carvalho. “Para além de tudo isto, o consumo de massas não contribui para aumentar as gorduras nem os açúcares, contrariamente ao que algumas dietas defendem. Existem vários mitos sobre as massas e este dia é muito importante para esclarecer e informar”, acrescenta a nutricionista.

Promovido internacionalmente, desde 1998, pela International Pasta Organization (IPO) e em Portugal pela Milaneza, no dia 25 de outubro comemora-se este dia com iniciativas um pouco por todo o mundo que visam informar e esclarecer os consumidores acerca das vantagens do consumo de massas.

História das Massas

A descoberta da primeira mistura de farinha de trigo moída com água aconteceu durante o período do neolítico tardio, cerca de cinco mil anos antes de Cristo, mas só em 1400 os italianos implementaram definitivamente a comercialização da massa.

Em finais do século XVIII, Nápoles liderava já a manufatura de massas. Nesta época, as massas eram postas a secar estendidas nos balcões e nos telhados das casas e até mesmo nas ruas. Quando ficavam prontas para o consumo, eram comercializadas por vendedores ambulantes que as cozinhavam em fogareiros de carvão e serviam com queijo ralado.

Ao longo dos tempos, a massa tornou-se num alimento cada vez mais popular. Em Portugal um dos principais registos importantes remonta a 1780 quando Lucas Rigaud, cozinheiro da rainha D. Maria I, publicou um livro de cozinha, onde se incluíam duas receitas de massa: uma “sopa de aletria e outras massas” e “Timbale de macarrão à italiana”.

Ao longo dos tempos, as massas foram adotadas por todo o tipo de culturas gastronómicas nos quatro cantos do mundo, desde os Estados Unidos à China, sem esquecer Portugal, onde as massas desempenham um papel de relevo na cozinha tradicional.

Mais informação em www.milaneza.pt