Rumo ao desperdício zero, estas caixas salvam frutas e legumes


26 Feb
26Feb

Há uma cadeia de supermercados que está empenhada em salvar uma tonelada de frutas e legumes por ano. Com o intuito de continuar a combater o desperdício alimentar, o Continente colocou em prática novas ações para salvar aqueles produtos.

Os dados que dão conta do desperdício alimentar em Portugal não são novos: em média e por ano, são deitados ao lixo um milhão de toneladas de alimentos. Desse valor, o retalho é responsável por 5%. Por isso, o Continente adotou uma nova forma de combater o descarte de alimentos, com a criação das Caixas Zer0% Desperdício.

Estas caixas começaram por ser um projeto-piloto que arrancou há pouco mais de um ano e que, graças aos resultados positivos alcançados, acabaram por se estender recentemente a mais de 300 lojas um pouco por todo o país.

A finalidade é “evitar o desperdício de mil toneladas de frutas e legumes por ano”, explica o diretor de Projetos de Sustentabilidade e de Economia Circular da Sonae MC, Pedro Lago.

As Caixas Zer0% Desperdício são feitas de cartão e contêm cinco quilos de frutas e de legumes que são resgatados das suas prateleiras por razões estéticas. Apresentam-se também na zona dos frescos, mas à parte e com um preço reduzido. Assim, os consumidores que estiverem interessados em levar hortícolas que, devido à sua aparência, perderam valor comercial, mas que mantêm a qualidade, podem fazê-lo por 50 cêntimos por quilo.

“Esta caixa permite-nos evitar toneladas de desperdício alimentar, ao mesmo tempo que oferecemos produtos que preservam excelentes condições de consumo, por um preço mais simpático para o cliente”, acrescenta Pedro Lago. Desde o lançamento do projeto, já foram resgatados 40 mil quilos de frutas e legumes, mas o combate ao desperdício não se fica por aqui. Com peras e maçãs desperdiçadas na produção, o Continente produz e comercializa snacks de fruta desidratada e sumos naturais sem aditivos. E porque, nas superfícies comerciais, se desperdiçam mais do que frutas e legumes, todos os dias outros excedentes alimentares são doados a instituições de solidariedade social.