«Fonchito e a Lua»


«Fonchito e a Lua»
A Lua em troca de um beijo
Fonchito apaixonou-se por Nereida, a menina mais bonita da turma e pediu-lhe um beijo .
- Gostava tanto de te dar um beijo… Posso?
Nereida corou ligeiramente, olhou para ele, muito séria, e respondeu: 
— Podes, se fores buscar a Lua para me dar.”
Desanimado, com aquela resposta, Fonchito concluiu que Nereida nunca deixaria que ele o beijasse.
No entanto, o acaso fez com que o rapaz visse o reflexo da Lua no balde com que o seu pai, Dom Rigoberto, regava os vasos de gerânios que davam cor e vida ao terraço.
E foi então que teve uma ideia....
Dirigiu-se à casa da sua amada numa quinta-feira à noite, o dia em que o pai dela ia ao clube com os amigos e a mãe ia jogar às cartas com as amigas. 
O terraço e uma panela cheia de água fizeram o que parecia impossível....
- Gostava tanto de te dar um beijo… Posso?
E nesse preciso momento Fonchito conseguiu  surpreender Nereida, oferecendo-lhe a Lua, reflectida na água daquela panela, numa noite de céu limpo, o que é raro em Lima, no Peru, onde tudo aconteceu....
Quando Nereida percebeu o que Fonchito lhe queria mostrar, viu, no fundo do recipiente, uma pequena Lua redonda e amarela, tremendo levemente com o movimento da água. Contemplou-a durante muito tempo, sem dizer nada e sem olhar para o amigo.
 Quanto a Fonchito, acabou por ganhar um beijo de Nereida. Suspeitamos que foi apenas o primeiro....


Mário Vargas Losa «Fonchito e a Lua»
Ilustração Marta Chicote Juiz