lado a lado


lado a lado
As mães embalam os filhos nas canastras que trazem à cabeça. Enrodilham as franjas do xaile mil vezes para desfazer os nós que ficam na garganta quando os filhos embarcam. As mães trabalham nos campos com os filhos às costas. As mães ficam sem trabalho com os filhos na barriga. As mães têm as pernas inchadas e o peito dorido, mas só lhes dói a dor de um filho. As mães lavam a roupa no tanque lavadas em lágrimas porque o amor não paga a escola dos filhos. As mães penduram a roupa com os filhos pendurados ao pescoço. As mães gostariam que a roupa fosse como o amor e nunca deixasse de servir. As mães descem as bainhas e remendam os rasgões com um amor sem costura. As mães apertam os filhos contra o peito para desapertar o coração. As mães têm olheiras porque o amor não dorme. As mães querem o melhor para os filhos e o melhor que os filhos têm é a mãe.


ilustração de Annet Loginova

lado.a.lado